segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

O homem ideal

Ele existe, sim. E, graças a Deus, está muito longe da perfeição.
O homem ideal me faz rir mas nunca usa o riso contra mim.
Tem a rara habilidade de saber ouvir e só diz o que é necessário,
bom ou a dura e intransponível realidade.

Compreende a diferença entre estar presente e fazer companhia.
Não é prolixo, nem tenta impressionar. Não precisa entender
de vinho, charutos ou golfe; precisa ser autêntico e admitir
que não entende de vinho, charutos nem de golfe
(e eventualmente confessar que gosta mesmo é de pinga).
Ele não exige a todo instante meu lado risonho porque sabe,
como sabe de tantas outras coisas não ditas em sentenças
ou discursos, que os dias negros fazem parte de mim.

Nota as sutis alterações de humor pelo tom da minha voz e,
antes de prejulgar as razões, se predispõe a fazer cafuné ou,
sensato, cala-se ao meu lado olhando para a TV. E não exige
explicações porque possui uma calma sabedoria que me
impele em sua direção: dividir minhas angústias e anseios
com este homem é tão acolhedor quanto deitar na grama
sob o sol de outono.
O homem ideal me dá bronca quando abuso da minha
independência ou como chocolate demais e depois
reclamo do peso. Ele compra sorvete light e evita
discussões posteriores. Compreende que preciso
da sensação indescritivelmente libertadora de sumir
por algumas horas e, mesmo não concordando com ela,
não me interroga como um oficial do DOI-Codi quando
piso em casa, levemente para não o acordar, às 2 da manhã.

O homem ideal canta. Não precisa ser afinado, mas
sussurra (seja ao telefone ou ao vivo) canções que,
num dia qualquer, mencionei gostar. Pode saber
dançar. E, se não souber, que mantenha a dignidade
e fique sentadinho me observando. Também bebe.
Meio pinguço, é daqueles que ficam charmosos de
matar com um copo de uísque nas mãos. É deliciosamente
sacana três doses acima do normal. Enterra os bons modos
e fecha abruptamente a porta do quarto, sem tempo para
que eu responda à pergunta nem sequer formulada.
Adormece aconchegado a mim, mas não suporta ficar
agarrado durante toda a noite.

E também curte cozinhar. Diverte-se tanto numa loja de
condimentos como diante de uma prateleira de CDs. Não
me expulsa da cozinha mesmo que eu esteja atrapalhando.
Não me dá fusilli na boca mas o serve no meu prato,
com pouco queijo e muito molho.

O homem ideal está sempre disposto a me ouvir, mesmo
que seja nos minutos desagendados à força durante o
dia cheio, e não usa trabalho nem cansaço como desculpa
para suas eventuais faltas; as assume e, até, se desculpa.
Não se esquiva de discutir os problemas que não se
solucionam com notas de 100. Não considera fraqueza
dizer que me ama. Pede ajuda quando sente que o peso
colocado sobre seus ombros extrapolou sua força. E chora.
Não faz promessas porque sabe que nem sempre é possível
cumpri-las. Vive regido por sua consciência e, impulsivo,
assassina a etiqueta e comete atos passionais. Então faz
besteiras, erra, engana-se. E nem por isso deixa de ser
maravilhoso – apenas segue sendo magnífica e
tropegamente humano.

O homem ideal é imperfeito, numa imperfeição que
combina exatamente com a minha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-me por Email

Lições de vida

Cada dia em nossas vidas nos ensina lições que muitas vezes nem percebemos.
Desde o nosso primeiro piscar de olhos, desde cada momento em que a fome bate, desde cada palavra que falamos.
Passamos por inúmeras situações, na maioria delas somos protegidos, até que um dia a gente cresce e começamos a enfrentar o mundo sozinhos.
Escolher a profissão, ingressar numa faculdade, conseguir um emprego...Essas são tarefas que nem todos suportam com um sorriso no rosto ou nem todos fazem por vontade própria.
Cada um tem suas condições de vida e cada qual será recompensado pelo esforço, que não é em vão.Às vezes acontecem coisas que a gente nem acredita.
Às vezes, dá tudo, tudo errado!Você pensa que escolheu a profissão errada, que você mão consegue sair do lugar, ás vezes você sente que o mundo todo virou as costas...Parece que você caiu e não consegue levantar...Está a ponto de perder o ar...Talvez você descubra que quem dizia ser seu amigo, nunca foi seu amigo de verdade e talvez você passe a vida inteira tentando descobrir quem são seus inimigos e nunca chegue a uma conclusão.
Mas nem tudo pode dar errado ao mesmo tempo, desde que você não queira.E aí... Você pode mudar a sua vida!Se tiver vontade de jogar tudo pro alto, pense bem nas conseqüências, mas pense no bem que isso poderá proporcionar.Não procure a pessoa certa, porque no momento certo aparecerá.Você não pode procurar um amigo de verdade ou um amor como procura roupas de marca no shopping e nem mesmo encontra as qualidades que deseja como encontra nas cores e tecidos ou nas capas dos livros.Olhe menos para as vitrines, mas tente conhecer de perto o que está sendo exibido.
Eu poderia estar falando de moda, de surf, de tecnologia ou cultura, mas hoje, escolhi falar sobre a vida!Encontre um sentido para a sua vida, desde que você saiba guiá-la com sabedoria.Não deixe tudo nas mãos do destino, você nem sabe se o destino realmente existe...Faça acontecer e não espere que alguém resolva os seus problemas, nem fuja deles.Encare-os de frente. Aceite ajuda apenas de quem quer o seu bem, pois embora não possam resolver os seus problemas, quem quer o seu bem te dará toda a força necessária pra que você possa suportar e...Confie!
Entenda que a vida é bela, mas nem tanto...Mas você deve estar bem consigo mesmo pra que possa estar bem com a vida.Costumam dizer por aí que quem espera sempre alcança, mas percebi que quem alcança é quem corre atrás...Não importa a tua idade, nem o tamanho de seu sonho...A sua vida está em suas próprias mãos e só você sabe o que fazer com ela...Autor ( Lilian Roque de Oliveira )


twitter

Mapa