sábado, 28 de setembro de 2013

Com rico acervo histórico e cultural, Ouro Preto é Patrimônio Mundial

Cidade foi a primeira brasileira a receber reconhecimento da UNESCO
 
Em 1980, Ouro Preto se tornou a primeira cidade brasileira a ser reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco (Foto: Thinkstock/ Getty Images)


No auge do ciclo do ouro, no século 18, Ouro Preto (MG) era a maior cidade das Américas. Por suas ladeiras, circulavam cerca de 150 mil pessoas, brasileiros e estrangeiros que chegaram na região atraídos pelas minas de ouro que ali existiam. Essa movimentação trouxe uma série de problemas, como fome e conflitos, mas também uma grande riqueza cultural e histórica.








Riqueza que atrai visitantes ainda hoje
e que fizeram da cidade o primeiro Patrimônio Cultural da Humanidade brasileiro, reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1980.
A Secretaria Municipal de Turismo estima que, anualmente, 1 milhão de turistas visitam Ouro Preto. Dados da Semana Santa de 2013 mostram que 51% dos visitantes, moram fora de Minas Gerais, inclusive em outros países, principalmente São Paulo, Rio de Janeiro, Estados Unidos e Argentina. Um dos principais atrativos da cidade é o conjunto arquitetônico, o maior de arquitetura barroca do país.
Em suas ladeiras, os turistas poderão conhecer pelo menos 20 igrejas e capelas, muitas delas com obras de Aleijadinho, um dos maiores escultores do período colonial brasileiro. A riqueza trazida pelo ouro coletado ali é evidenciada nas igrejas, repletas de esculturas e detalhes em ouro. Outro destaque cultural da cidade é a Casa de Ópera de Vila Rica, o teatro mais antigo da América Latina. Fundado em 1770, o teatro tem uma arquitetura que lembra uma lira.
Palco da Inconfidência Mineira – quando a elite mineradora tentou se separar de Portugal por conta dos altos impostos cobrados pela Coroa – Ouro Preto conta também com um rico patrimônio histórico. A antiga prisão foi transformada no Museu da Inconfidência. Do outro lado da Praça Tiradentes – onde a cabeça do alferes foi exposta – a antiga Escola de Minas se transformou em um rico museu de ciências. Locais como a Casa dos Contos, Casa dos Inconfidentes e a Casa de Claudio Manuel da Costa preservam um pouco do período, com acervo original da época.
Patrimônio Cultural da Humanidade



Acervo histórico e cultural de Ouro Preto rendeu à
   cidade o título de Patrimônio da Humanidade
                  (Foto: Divulgação/ Lucas Conrado)


Em 1980, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciências e Cultura (Unesco) concedeu a Ouro Preto o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. A cidade se tornou a primeira no país a receber tal título. “Uma cidade recebe o título ao comprovar a excepcionalidade do bem preservado, mostrando que é único e importante para contar a história do país”, comenta Patrícia Reis, Coordenadora de Cultura da Unesco no Brasil.
Para que um local receba o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, ele deve atender a dez requisitos estipulados pela Unesco em 1972, tais como representar uma obra-prima do gênio criativo humano, ser exemplo de um edifício ou conjunto arquitetônico que ilustre um - ou mais - estágios da história humana, estar ligado a eventos ou tradições humanas de importância mundial. A coordenadora explica que, assim que um governo candidata uma cidade à avaliação, ele está se comprometendo a preservar o patrimônio, o que significa algumas vantagens para ele. “No caso de Ouro Preto, receber o título colocou a cidade como uma das prioridades na distribuição de recursos para a preservação histórica”, destaca Patrícia.
Ela conta que os governos federais fazem uma lista de locais candidatos a se tornarem patrimônios da humanidade. “Essa lista deve mostrar a variedade cultural e natural do país. “Hoje, temos 19 sítios no Brasil, sendo 12 culturais e sete naturais. Você enxerga biomas diferentes como Mata Atlântica, vegetação de costa, Pantanal como Patrimônios Naturais. Nos culturais, temos elementos da colonização, exploração de diamantes, ocupação espanhola e trabalho dos jesuítas”, destaca Patrícia.
Essa lista é encaminhada à Unesco, junto de um dossiê, que explica por que aqueles patrimônios devem ser reconhecidos. A lista é encaminhada às Nações Unidas, que repassa para avaliação do Conselho Internacional dos Monumentos e dos Sítios (Icomos). O Conselho observa os detalhes da inscrição e fazem visitas ao local, para avaliar o respeito aos critérios. Caso algum ponto não está sendo respeitado, a Unesco encaminha ao governo, que deve procurar corrigi-lo. Quando tudo estiver de acordo, o sítio é considerado como patrimônio cultural da humanidade.
“Quando um local é recusado, ele pode ser inscrito novamente em um ou dois anos. Não é raro isso acontecer”, comenta Patrícia. Ela destaca que também pode acontecer de um sítio perder o título. Em 2009, o Vale do Rio Elba, na Alemanha, perdeu o título de Patrimônio Mundial da Humanidade. O governo local decidiu construir uma ponte que descaracterizava o local. Em 2007, o mesmo havia ocorrido com o Santuário Natural de Órix Árabe, devido à diminuição da área preservada.
No caso de Patrimônios Naturais da Humanidade, o trâmite é o mesmo. A única diferença está no órgão que avalia o sítio. Ao invés do Icomos, o responsável é a União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN).
fonte:http://redeglobo.globo.com/acao/noticia/2013/09/com-rico-acervo-historico-e-cultural-ouro-preto-e-patrimonio-mundial.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-me por Email

Lições de vida

Cada dia em nossas vidas nos ensina lições que muitas vezes nem percebemos.
Desde o nosso primeiro piscar de olhos, desde cada momento em que a fome bate, desde cada palavra que falamos.
Passamos por inúmeras situações, na maioria delas somos protegidos, até que um dia a gente cresce e começamos a enfrentar o mundo sozinhos.
Escolher a profissão, ingressar numa faculdade, conseguir um emprego...Essas são tarefas que nem todos suportam com um sorriso no rosto ou nem todos fazem por vontade própria.
Cada um tem suas condições de vida e cada qual será recompensado pelo esforço, que não é em vão.Às vezes acontecem coisas que a gente nem acredita.
Às vezes, dá tudo, tudo errado!Você pensa que escolheu a profissão errada, que você mão consegue sair do lugar, ás vezes você sente que o mundo todo virou as costas...Parece que você caiu e não consegue levantar...Está a ponto de perder o ar...Talvez você descubra que quem dizia ser seu amigo, nunca foi seu amigo de verdade e talvez você passe a vida inteira tentando descobrir quem são seus inimigos e nunca chegue a uma conclusão.
Mas nem tudo pode dar errado ao mesmo tempo, desde que você não queira.E aí... Você pode mudar a sua vida!Se tiver vontade de jogar tudo pro alto, pense bem nas conseqüências, mas pense no bem que isso poderá proporcionar.Não procure a pessoa certa, porque no momento certo aparecerá.Você não pode procurar um amigo de verdade ou um amor como procura roupas de marca no shopping e nem mesmo encontra as qualidades que deseja como encontra nas cores e tecidos ou nas capas dos livros.Olhe menos para as vitrines, mas tente conhecer de perto o que está sendo exibido.
Eu poderia estar falando de moda, de surf, de tecnologia ou cultura, mas hoje, escolhi falar sobre a vida!Encontre um sentido para a sua vida, desde que você saiba guiá-la com sabedoria.Não deixe tudo nas mãos do destino, você nem sabe se o destino realmente existe...Faça acontecer e não espere que alguém resolva os seus problemas, nem fuja deles.Encare-os de frente. Aceite ajuda apenas de quem quer o seu bem, pois embora não possam resolver os seus problemas, quem quer o seu bem te dará toda a força necessária pra que você possa suportar e...Confie!
Entenda que a vida é bela, mas nem tanto...Mas você deve estar bem consigo mesmo pra que possa estar bem com a vida.Costumam dizer por aí que quem espera sempre alcança, mas percebi que quem alcança é quem corre atrás...Não importa a tua idade, nem o tamanho de seu sonho...A sua vida está em suas próprias mãos e só você sabe o que fazer com ela...Autor ( Lilian Roque de Oliveira )


twitter

Mapa