sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Por que falta paciência aos pais?

As vezes gosto de analisar o comportamento de certas pessoas, pois isso me leva a
compreender um pouco mais a respeito de algumas atitudes antes incompreensíveis
para mim. Este tipo de reflexão faz com que eu repense algumas atitudes e não
cometa os mesmos erros.

Contudo, existe algo em especial que me desperta interesse e ao mesmo tempo
indignação; a forma como alguns pais tratam seus filhos. É difícil para mim
compreender certas relações familiares nas quais os pais ignoram seus filhos
por julgarem que eles, em sua condição de criança ou adolescente, não são
importantes no meio familiar e que sua opinião é irrelevante e deve ser ignorada.

Durante o transcorrer de minha vida, da infância até os dias atuais, testemunhei
exemplos absurdos de intolerância por parte de pais que fazem com que seus
filhos sejam submissos a eles, sem dar-lhes chances de argumentar, e qualquer
ato de questionamento logo é reprimido com a violência que lhes é peculiar.
Estas pobres crianças são subjugadas por seus pais e mães, que na maioria
dos casos são pessoas desequilibradas emocionalmente e que muito
provavelmente não puderam contar com o apoio de sua família e por este
motivo não tiveram preparo suficiente para lidar com uma paternidade
e as dificuldades advindas dela.

Acontece que na maioria dos casos, estes pais foram gerados em meio a
um ambiente familiar desestruturado e repetem os mesmos erros de seus
pais, que também foram maltratados ou reprimidos e acabaram se
tranformando em adultos desequilibrados. A consequencia disso é que
estes pais intolerantes costumam crer na premissa de que punir é o
mesmo que educar e que a violência é o melhor caminho para a educação.
Paciência, para quê? Afinal é mais cômodo repreender a ter que educar.
Fora isso, transferir as responsabilidades ao filho é mais fácil que deixar
o comodismo de lado, afinal, “eles tem que aprender a ter responsabilidades
desde cedo”. Concordo com isso, mas desde que sejamos coerentes, pois
não podemos cobrar de um bebê que ele não caia, attitude esta ainda
icompreensível a esta faixa etária.

Outro exemplo de absurdo, é a falta de atenção motivada lpelo comodismo
e a preguiça – leia-se descaso – porque nesta situação, os pais ignoram o
fato de que um filho necessita de atenção e carinho. e cuidar deles é um
incômodo. Numa situação como esta, vejo que seus pais preferem
ignorá-los a ter que dedicar um pouco de seu tempo para ouvir e
interagir com eles. Já presenciei cenas nas quais filhos são repreendidos
sem qualquer motivo aparente, e isso tudo simplesmente porque o pai ou
a mãe ”não estava com paciência para isso” ou porque alega estar cansado
ou estressado. Ora, se quis ter filhos, que arque com as responsabilidades.
Não há nada pior para uma criança do que ela vir cheia de motivação e
querer dividir um assunto interessante com os pais e simplesmente serem
ignorados ou pior ainda, repreendidos porque estão fazendo barulho e não
dá para assistir à novela. Esta falta de atenção só contribui para o aumento
das estatísticas de filhos que perdem os valores familiares e buscam
compensar esta carência afetiva através do convívio com os amigos e
muitas vezes entregam-se ao vício e ao sexo de maneira precoce, e no
caso de meninas, isso pode ter consequencias ainda mais graves,
como a gravidez.

Tudo isso é culpa de pais e mães irresponsáveis que acham que educar
é ser autoritário, e que xingar, bater ou repreender sem motivo aparente
ainda é a melhor forma de educar. Não ter paciência para escutar o que
um filho tem a dizer é o mesmo que dizer a eles que não estamos
preocupados com seu bem estar, pois uma vez que não haja confiança,
é impossível ter filhos felizes e consequentemente adultos bem formados.
Isso é absurdamente errado, afinal estas pobres criaturas não pediram
para nascer, sem contar que este tipo de comportamento gera traços de
personalidade negativos, interferindo em sua formação e prejudicando
seu bom desempenho nos relacionamentos pessoais e consequentemente
nas relações profissionais. Filhos criados desta forma serão adultos
reprimidos ou agressivos, pois esta é a educação que receberam.

Acredito que pais que tratem seus filhos desta forma, estão criando cobras
sob o colchão e correm o risco de, no futuro, terem surpresas desagradáveis.
No fundo, sei que estes pais não tem culpa de serem assim, pois também
foram vítimas de famílias desestruturadas e na verdade necessitam de
ajuda, pois somente desta maneira podemos tentar mudar esta mentalidade
arcaica, onde impera o autoritarismo e fraqueza de caráter. Infelizmente
frustração causada por um criação distorcida e sem contexto faz com que
estes pais não consigam envolver-se afetivamente com seus filho,
ou envolvam-se parcialmente e acreditem que ser bom pais é dar tudo
que um filho precisa, menos amor e confiança. Esta relação é a mais
linda de todas, e é inegável o fato de que se nada for feito, cada vez mais
teremos notícias de familias desfeitas pelo desequilibrio emocional e
pelas drogas. Para mim não há nada mais belo que o afeto e a sinceridade
de uma criança e estas são as maiores recompensas que um pai pode ter.

Eu gostaria muito que todo casal que optasse por ter filhos tivesse
(obrigatoriamente) que passar por uma avaliação psicológica antes
de resolverem ter filhos, pois assim não haveriam tantos casos de
violência doméstica e consequenteente menos crianças se tornariam
adultos problemáticos. Tenho um filho e sei o quanto é bom dar e
receber amor, pois nunca precisei surrá-lo ou fazer uso de qualquer
artifício violento para educá-lo, muito pelo contrário, ao invés tratá-lo
aos gritos, com grosserias ou demonstrações de descontrole, procurei
sempre conversar com ele e impor limites da forma racional, de maneira
que fosse compreensível a ele que se o repreendemos, não por que não
gostamos, mas sim por proteção e educação. Na verdade é melhor nos
adaptarmos aos nossos filhos e entendê-los do que achar que somos os
donos da verdade e agir mos como ignorates autoritários.

O verdadeiro papel dos pais é educar e formar adultos conscientes, pois
certamente nossos filhos serão o reflexo do ambiente em que vivem e
ignorar um filho é como dar um tiro no próprio pé, pois estamos lhe
ensinando que quando não gostamos de alguém temos que dar-lhes
as costas ou sermos intolerantes, além de que a violência é o melhor
caminho e que amar é besteira.

fonte:Marco Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-me por Email

Lições de vida

Cada dia em nossas vidas nos ensina lições que muitas vezes nem percebemos.
Desde o nosso primeiro piscar de olhos, desde cada momento em que a fome bate, desde cada palavra que falamos.
Passamos por inúmeras situações, na maioria delas somos protegidos, até que um dia a gente cresce e começamos a enfrentar o mundo sozinhos.
Escolher a profissão, ingressar numa faculdade, conseguir um emprego...Essas são tarefas que nem todos suportam com um sorriso no rosto ou nem todos fazem por vontade própria.
Cada um tem suas condições de vida e cada qual será recompensado pelo esforço, que não é em vão.Às vezes acontecem coisas que a gente nem acredita.
Às vezes, dá tudo, tudo errado!Você pensa que escolheu a profissão errada, que você mão consegue sair do lugar, ás vezes você sente que o mundo todo virou as costas...Parece que você caiu e não consegue levantar...Está a ponto de perder o ar...Talvez você descubra que quem dizia ser seu amigo, nunca foi seu amigo de verdade e talvez você passe a vida inteira tentando descobrir quem são seus inimigos e nunca chegue a uma conclusão.
Mas nem tudo pode dar errado ao mesmo tempo, desde que você não queira.E aí... Você pode mudar a sua vida!Se tiver vontade de jogar tudo pro alto, pense bem nas conseqüências, mas pense no bem que isso poderá proporcionar.Não procure a pessoa certa, porque no momento certo aparecerá.Você não pode procurar um amigo de verdade ou um amor como procura roupas de marca no shopping e nem mesmo encontra as qualidades que deseja como encontra nas cores e tecidos ou nas capas dos livros.Olhe menos para as vitrines, mas tente conhecer de perto o que está sendo exibido.
Eu poderia estar falando de moda, de surf, de tecnologia ou cultura, mas hoje, escolhi falar sobre a vida!Encontre um sentido para a sua vida, desde que você saiba guiá-la com sabedoria.Não deixe tudo nas mãos do destino, você nem sabe se o destino realmente existe...Faça acontecer e não espere que alguém resolva os seus problemas, nem fuja deles.Encare-os de frente. Aceite ajuda apenas de quem quer o seu bem, pois embora não possam resolver os seus problemas, quem quer o seu bem te dará toda a força necessária pra que você possa suportar e...Confie!
Entenda que a vida é bela, mas nem tanto...Mas você deve estar bem consigo mesmo pra que possa estar bem com a vida.Costumam dizer por aí que quem espera sempre alcança, mas percebi que quem alcança é quem corre atrás...Não importa a tua idade, nem o tamanho de seu sonho...A sua vida está em suas próprias mãos e só você sabe o que fazer com ela...Autor ( Lilian Roque de Oliveira )


twitter

Mapa